Pages

terça-feira, fevereiro 16, 2010

Arrependimento tardio.

Pedira para ser auxiliado em casa, preferia morrer onde sempre tinha vivido. Isso mesmo, morrer, sabia que o seu útimo batimento estava por vir a qualquer momento.
Pela janela admirava a chuva, e logo o cheiro de terra molhada invadia suas narinas. A enfermeira ficava o tempo todo folheando uma revista, numa cadeira de madeira junto a cama.
Passara sua vida inteira trabalhando, para providenciar um futuro para os filhos e estabilidade para ele a esposa. Não por amor e carinho, ele não tinha tempo para essas coisas. Pura e única obrigação, queria no final ter o sentimento de tarefa concluída. Os viu crescer mas não se prendeu aos detalhes, estava muito ocupado trabalhando o tempo todo; ensinara sua prole a ser independente, e a carência de atenção destes cessaram quando tiveram idade o suficiente para conformarem-se. Sua esposa morera há 5 anos, de insatisafação. Com a saída dos filhos e desinteresse do marido, a solidão levou-a embora.
Agora arrependia-se do passado, quando a maturidade chegara-lhe, já era tarde demais. Morreria sozinho. A enfermeira olhou-o de novo com pena:
- O Senhor tem certeza que não tem nenhum parente seu que possa vir vê-lo?
Ainda tinha o número de seu filho mais novo, o único que ainda vivia no país, e o que menos recebera atenção, pegara o telefone da última vez que este havia o visitado, 5 anos atrás, após a morte da mãe, depois parecia ter desistido de tentar alguma aproximação, ou de arrancar um abraço. Não custava tentar conseguir a piedade para ele vir visitá-lo, sentiria pena de si mesmo se tivesse que morrer sozinho; e arrependido.
- A gaveta.... - conseguiu balbuciar com sacrifício. A enfermeira olhou-o espantada por finalmente este ter dito alguma coisa, além das negativas na hora de tomar o remédio.
Achou esquecida uma agenda empoeirada, embaixo de todo o tipo de coisa.
- Hélio... - foi o que disse o doente, olhando para cima.
Ela então pegou o telefone e discou o número. Após algumas pausas tapou o fone e disse:
-O senhor tem certeza que é esse o número? Atendeu uma criança que disse que não conhece ninguém com o seu nome.
Olhou-a, se fosse o número certo este seria o seu neto, que nunca chegara a conhecer.E não se importava; até então.
A enfermeira continuava falando: - Sim, sim, eu estou aqui assistindo-o, já tem quase uma semana que ele está neste estado...não, ele não quis ir ao hospital, permaneceu. Certo, vejo-o em algumas horas.
O tempo que demorou seu filho a chegar foi excrucitante, pensava o que dizer, se precisaria dizer alguma coisa, como ele pareceria agora já tão mais velho. Será que ainda tinha aqueles olhos castanhos iguais aos seus, com uma vivacidade que em si próprio nunca fora vista?
Ouviu passos e uma voz rouca e embargada chegou aos seus ouvidos, era ele, que entrava pela porta deixada aberta pela enfermeira.
-Meu pai?
Hélio imediatamente ajoelhou-se ao seu lado, olhando-os nos olhos num misto de sofrimento e pena, de ver alguém antes tão forte nesse estado.
O doente olhou-o com olhos rasos em lágrimas:
- Falei.... o que não devia... - então teve que dar uma pausa para recuperar energia - Nunca...ser dito por ninguém.
- Todos nós erramos, meu pai. - disse tentando amenizar o estado de culpa em que seu progenitor se encontrava - Ainda é cedo.
- Me perdoe...
E o último suspiro de vida escapou-lhe pela boca juntamente com essas palavras. Suas mãos geladas ainda estavam entre as de seu filho, que deixava as lágrimas caírem livremente e banharem seu rosto. Deu-lhe um beijo na mão e, levantando-se, fechou-lhe os olhos.
Antes de sair do quarto olhou para trás e viu o pai pela última vez deitado naquela cama onde outrora tão pouco ele repousava, e, talvez em um lapso, uma alucinação, viu o antigo pai sorrindo para ele pela primeira vez, bonito como nunca estivera.
Seu peito aqueceu por finalmente conseguir o que sempre desejara.
- Eu te perdôo, meu velho pai.
E saiu, levando consigo o último rastro de vida do aposento.
Alerta! É terminantemente proibido copiar os artigos deste blog.
Clique aqui e veja nossa licença. Plágio é crime previsto no Código Penal. Conheça a Lei 9610

21 Opiniões:

Viajante Sem Rumo disse...

nossa e bem extremista o texto te deixa um pouco comovido com o peso das palavras mas gostei muito!

Corujas Laranjas disse...

Caramba po.. o.o
Esse texto me deixou com vontade de chorar, sério mesmo.. ><"

perfeito. adorei! :)

Rodrigo disse...

mto bom texto, gostei!
profundo e prende até o final!
continue assim, parabéns!

Dominici disse...

Oiii, gostei do seu blog, e principalmente do seu antepenultimo post... =)

vi na comunidadee dei uma passadihnha.. bjos!

Duck Filmes disse...

Muito bom o conteudo do blog ;D

http://www.duckfilmes.com/

Iara Bandeira disse...

ótimo blog :D
parabéns

Macaco Pipi disse...

tem horas que já era!

André disse...

é nosso layout é igual mesmo asuasuahsu
parabens pelo blog ae xD
http://tacadesabedoria.blogspot.com/
vo te seguir, se quiser me seguir ja sabe o link o//

Carlos Eduardo Ferreira disse...

Muito boa a reflexão, muitas vezes pensamos no futuro e esquecemos do presente e que o futuro é a colheita do que plantamos hoje. Adorei. Se puder e quiser me visita no http://advcarloseduardo.blogspot.com
Beijos

Laryssa Hallak disse...

voce difinitivamente escreve muito bem ! Eu juro, que meus olhos sentiram
vontade de chorar com o teu texto. *-*

Amei amei amei !
http://viciosocirculo.blogspot.com

Duck Filmes disse...

muito bom o conteudo do blog muito bom mesmo

http://www.duckfilmes.com/

thiagosanthi disse...

Bela estesia.

Nath, disse...

belo post

Lariissa Bruna ♥ disse...

Otiimo texto!
Ameei, seu blog tmbm é muito fofo (:
Obrigada pela visita e volte sempre!

Continue sempre assim!
Beeijo;*

http://lagrimainterrompida.blogspot.com/

Jakeline Magna disse...

Oláaa desculpa a demora por responder... estava aproveitando o carnaval...adorei o seu blog, muito lindim parabens...
banner gostei... vamos fazer parceriaaaa
depois me fala no blog.... bjssssssssss

Jakeline Magna disse...

Queridaaa obrigado pelo selinho... acabei de ver... lindooo... vou publicar no meu blog de selinhos... bjssss

Jakeline Magna disse...

vic, vc já está no meu blog...obrigadaaaa... bjsdss

Poesias-Fran.R.M disse...

Olá!

Indiquei o selinho Happy 101 para você, você copia ele e segue as regras :).


Bjs1

e muito obrigada pelo selo, já coloquei no meu blog :D

BLOG disse...

emocionante quer parceria de banner???


jpblogjp.blogspot.com

fabis disse...

muito bom o texto parabens pelo blog

http://afffveioo.blogspot.com/

Luan Silva disse...

Caracaa, você tem um dom divino só pode... Esse texto é muito lindo, parabéns, continue assim!! Ganhou um seguidor.. Abraços.

Postar um comentário

Favor ler o texto primeiro para saber do que está falando, comentários como "Muito bom", "Legal", "Passa no meu blog" serão descartados. Exercitar um pouco a mente crítica para redigir um pequeno fragmento é saudável.Palavrões e frases ofensivas terão o mesmo destino.

No mais, obrigada por estar comentando.

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape É terminantemente proibido copiar os artigos deste blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do código penal. Conheça a Lei 9610
.